15.1.07

 

Poemas favoritos XXIII
Favorite poems XXIII


Ah! Os Relógios

Mario Quintana

Amigos, não consultem os relógios
quando um dia eu me for de vossas vidas
em seus fúteis problemas tão perdidas
que até parecem mais uns necrológios...

Porque o tempo é uma invenção da morte:
não o conhece a vida - a verdadeira -
em que basta um momento de poesia
para nos dar a eternidade inteira.

Inteira, sim, porque essa vida eterna
somente por si mesma é dividida:
não cabe, a cada qual, uma porção.

E os Anjos entreolham-se espantados
quando alguém - ao voltar a si da vida -
acaso lhes indaga que horas são...
***
Of The Surface Of Things
Wallace Stevens

I
In my room, the world is beyond my understanding;
But when I walk I see that it consists of three or four hills and
a cloud.

II
From my balcony, I survey the yellow air,
Reading where I have written,
"The spring is like a belle undressing."


Comments: Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?