27.10.08

 

Poemas 396
Poems 396


Relógio

Orides Fontela

Hora dos
peixes
hora dos
náufragos
hora do es
pesso
concreto abismo

hora das
algas
lentas flu
tuantes
hora das
ondas
brandas in
findas

hora dos
peixes
densos
obscuros
na obscuridade líquida.

Comments: Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?